26/04/2010 a 02/05/2010

Adolescentes dão aula para crianças em projeto de extensão

Crianças, adolescentes e universitários aprendem de forma lúdica e criativa sobre temas como biologia, robótica e dinossauros. O projeto alia a interação de alunos com os monitores universitários de Engenharia de Controle e Automação, Biologia e Psicologia, buscando o incentivo ao aprendizado e a troca de saberes. Só que, este ano, os alunos do projeto Altas Habilidades são os professores: os jovens estudiosos estão oferecendo cursos para estudantes do ensino fundamental. Os cursos são coordenados pelo núcleo Sociedade Inclusiva da Pró-reitoria de Extensão. Rotulados por muitos como “nerds” ou “superdotados”, as crianças e os adolescentes que têm altas habilidades representam 3% a 5% da população mundial.



Rotulados por muitos como "nerds" ou "superdotados", as crianças e os adolescentes que têm altas habilidades representam 3% a 5% da população mundial. Segundo a Política Nacional de Educação Especial, na perspectiva da educação inclusiva, educandos com esse perfil são aqueles que apresentam notável desempenho e elevada potencialidade em aspectos como pensamento criativo ou produtivo, capacidade de liderança e talento especial para artes.

O projeto foi criado há quatro anos com o objetivo de desenvolver o potencial apresentado por esses jovens, com idade entre 7 a 14 anos. Oriundos de escolas públicas e privadas da Região Metropolitana de Belo Horizonte, a partir de um curso de programação voltado para robótica e outro que aborda a classificação de espécies, os 12 alunos desenvolvem trabalhos de pesquisa ao longo do ano. Assim, pretende-se promover a inclusão dessas especialidades na sociedade, criar metodologias de atendimento educacional para os alunos com altas habilidades e possibilitar o desenvolvimento de projetos nas várias áreas do conhecimento.

Segundo a coordenadora do projeto, professora Rosa Maria Corrêa, trabalhar as habilidades dessas crianças e adolescentes auxilia não só no aprendizado em sala de aula como em sua sociabilidade. "Muitas vezes, a falta de desafios da educação básica e poucos estímulos fazem com que se sintam desmotivados. Investir nos jovens com altas habilidades significa reconhecer seu valor e acreditar que suas potencialidades possam ser canalizadas para busca de alternativas", ressalta a psicóloga.

Confira os cursos oferecidos:

Como lidar com os animais selvagens

Procedimentos que devem ser adotados em situações que envolvem animais selvagens
Início: 11 de maio (Turma 1), 18 de maio (Turma 2) e 25 de maio (Turma 3)


Répteis marinhos primitivos

Características dos plessiossauros liopleurodons, com demonstração em massa de modelar
Início: 18 de maio


Procedência na mata

Procedimentos corretos de capturar insetos sem causar sofrimento ao animal
Início: 1º de junho (Turma 1) e 8 de junho (Turma 2)


Carga elétrica

Magnetos (energia), envolvendo ímãs, energia positiva e negativa
Início: 8 de junho (Turma 1) e 15 de junho (Turma 2)


Programação do NXT

Programação de Lego Mindstorns NXT e base de programação
Início: 11 de junho

Mais informações e inscrições: (31) 3319-4977

22/04/2010


PUC Informa. Editado pela Assessoria de Imprensa da PUC Minas :: (31) 3319-4917 - imprensa@pucminas.br