19/04/2010 a 25/04/2010

Estudantes fazem ação de extensão em assentamento do MST

Os alunos do 3º período do Curso de Enfermagem e os do 4º de Nutrição da PUC Minas no Barreiro participarão, na próxima quinta-feira, 22 de abril, da segunda etapa do projeto de extensão Graduação e Extensão: Aprendendo a Aprender, no assentamento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Vianópolis, em Betim, na Região Metropolitana. O projeto foi aprovado pelo Núcleo Universitário de Betim, mas tem a participação dos dois cursos da unidade Barreiro. Os alunos sairão às 7h30 do Núcleo Universitário de Betim (Rua do Rosário, 1.081, bairro Angola) e retornarão do assentamento às 12h.

O objetivo da segunda ida ao assentamento é a realização de visitas técnicas às 34 famílias que se cadastraram no primeiro encontro dos alunos com a comunidade, no dia 6 de março. Nesse dia, os estudantes conheceram o assentamento e cadastraram todas as famílias que se interessaram em participar das atividades propostas, além de coletarem amostras para análise de legumes e verduras da horta comunitária do assentamento e da água que a comunidade consome. Os alunos da Unidade Barreiro utilizarão o laboratório de parasitologia do Núcleo Universitário de Betim para realizar os exames parasitológicos. 

Os estudantes também distribuirão kits de higienização pessoal com creme dental, escovas de dente, shampoo e condicionador. Os itens de higiene bucal foram doados pela aluna Marcelly Evelin dos Santos e os outros pela aluna Cristiane Assis Ferreira Rocha, ambas do 3º período do Curso de Enfermagem.

O projeto, coordenado pela professora Alessandra Pereira Simonini Gomes, coordenadora da área no Curso de Nutrição, anteriormente, segundo ela, se chamava Húmus para Graduação e Extensão: aprendendo a aprender, pois sofreu ampliação no campo de trabalho dos cursos de graduação. Ele agora é conteúdo obrigatório da disciplina Parasitologia, ministrada pela professora tanto nos cursos de Enfermagem e Nutrição, da Unidade, quanto nos cursos de Ciências Biológicas e Medicina Veterinária, do Núcleo Universitário de Betim, ambos participantes do projeto.

Segundo a coordenadora, o objetivo principal das atividades é "orientar a comunidade no controle e na prevenção das doenças parasitárias, que acometem a saúde humana, e despertar nos alunos os valores humanos e o interesse pela realidade social dentro da suas áreas de interesse profissional".

Os alunos do Curso de Enfermagem irão avaliar as condições de saúde de crianças e idosos, com relação à presença de verminoses, os casos de desnutrição ocasionados por doenças parasitárias e as condições de higienização pessoal e de moradia da comunidade.

Para Jéssica Aline Alvim Santos, aluna de Enfermagem, que irá prestar atendimento às famílias que apresentem casos de leishmaniose, esse contato com a comunidade é uma oportunidade para compreender as dimensões das carências da comunidade e tentar ajudá-la.

Já os alunos do Curso de Nutrição irão intervir junto às famílias para auxiliar na qualidade da produção de alimentos das hortas comunitárias do assentamento, por meio do ensino de métodos de higienização e reaproveitamento de alimentos; da avaliação de qualidade da água utilizada na irrigação; de controle de doenças parasitárias, que são veiculadas através dos alimentos, usando técnicas parasitológicas para verificar se há contaminação.

Segundo a aluna do Curso de Nutrição Adriana Nascimento dos Santos Dantas, a humanização e a valorização pessoal devem ser trabalhadas no assentamento pelos alunos para que a comunidade compreenda o porquê da importância da higienização pessoal, do asseio no cultivo das hortas e de suas próprias moradias. "A comunidade se mostrou bastante flexível e aberta ao aprendizado e isso facilitará nossa intervenção", diz ela.

Depois da realização dos cadastros, cada grupo de alunos ficará responsável por uma família, realizando visitas ao assentamento ao longo do semestre para desenvolver seus trabalhos de acordo com as metas do grupo. Segundo a professora Alessandra, os grupos terão autonomia para escolher a família que desejem prestar atendimento. "Por exemplo, os alunos de Enfermagem que desejem trabalhar com crianças poderão escolher família que tenha mais crianças", explica ela.

Já os grupos de alunos da Nutrição prestarão atendimento a todas as famílias, já que trabalharão avaliando a qualidade dos alimentos, da água, e não indivíduos. Os estudantes do curso estarão em contato constante com os de Enfermagem. "O bonito nesse trabalho é o intercambio entre os alunos e entre os estudantes e a comunidade", diz a professora.

Campos de atuação do Curso de Enfermagem

Os alunos do Curso de Enfermagem participantes do projeto trabalharão em três frentes de atuação e foram divididos em três grupos: um participará do projeto por meio do MST, outro por meio da Creche Educacional Municipal de Educação Infantil – Jardim Eldorado (Cemei), em Contagem, e outro por meio da Creche Comunitária Maria Floripes, no bairro Lindeia, na Região do Barreiro.

Na última quinta-feira, 15 de abril, estava programada visita dos alunos à Cemei que fariam intervenção na creche, encontro que se repetirá na próxima quinta, dia 22 de abril. Nas próximas semanas as visitas voltarão a ser realizadas todas as segundas-feiras, até o final da intervenção, no fim do semestre. O foco deste grupo é o atendimento às crianças de 0 a 3 anos no controle de mosquitos, pediculose (piolho) e verminoses.

A segunda visita das alunas que participarão do projeto por meio de intervenção na Creche Comunitária Maria Floripes será na próxima terça-feira, 20 de abril. A creche atende crianças que tenham entre 6 meses a 5 anos de idade, porém o foco da intervenção deste grupo é o atendimento às crianças de 5 anos, no controle de pediculose (piolho), miíase (berne) e tungíase (bicho de pé).

Segundo a aluna Pamela Talyuli Leite, o grupo pretende realizar uma gincana com as crianças para ensiná-las os métodos de prevenção das doenças abordadas pela intervenção. "Chegamos à conclusão de que, para as crianças, uma gincana seria mais didático do que uma palestra, devido à pouca idade delas, por isso optamos por isso".

A aluna Tamires da Fonseca Coelho, do grupo de atendimento à Cemei, avalia a participação de todos alunos de forma positiva: "Esse projeto servirá para enriquecer não só nossa grade curricular, mas também nosso profissionalismo. Nós, enquanto alunos de Enfermagem, sabemos da importância do ‘cuidar’ e teremos uma boa oportunidade para exercitá-lo", afirma ela.

Arrecadação de livros e brinquedos para MST em Betim

Esses alunos dos dois cursos, em parceria com a Pastoral na Universidade, estão arrecadando brinquedos e livros em prol das crianças do assentamento do MST.  As doações deverão ser entregues na Pastoral de segunda a sexta-feira, das 13h às 21h, até o dia 28 de maio (avenida Afonso Vaz de Melo, 1200, prédio 2, sala 104).

Segundo Ronaldo Lucas Buhr, funcionário da Pastoral, a biblioteca do assentamento pegou fogo e o objetivo da arrecadação é o auxílio na montagem de um novo acervo juntamente com uma brinquedoteca para "promover o lazer e a cultura às crianças".

15/04/2010


PUC Informa. Editado pela Assessoria de Imprensa da PUC Minas :: (31) 3319-4917 - imprensa@pucminas.br