17/10/2005 a 23/10/2005

Visita à Universidade é prêmio para jovens


Jovens entram em contato com o ambiente acadêmico

Uma visita à PUC Minas foi o prêmio que 34 adolescentes, participantes das atividades do Centro de Acolhida, no bairro Betânia, receberam por apresentarem alta freqüência e bom relacionamento com colegas e funcionários. Identificados por coletes nas cores verde e vermelho, e olhares curiosos, eles conheceram a biblioteca, o Museu de Ciências Naturais e passearam pelo campus Coração Eucarístico, na ensolarada tarde do dia 19 de outubro.

"Nunca imaginei que fosse tão grande, parece um bairro", conta Farley Wagner dos Santos Pessoa, 15 anos, estudante do 1º ano do ensino médio, pouco antes do fim da visita, no Museu de Ciências Naturais. Ele reconhece a importância de se fazer um curso superior para conseguir melhores condições de vida. "Quero aprofundar mais, para ter um futuro melhor", diz.
As aves empalhadas no Museu chamaram a atenção de Edvânia Nunes de Souza, de 14 anos.
"Por gostar de animais, queria fazer Veterinária. Mas agora mudei de idéia, quero Administração", conta a estudante, que está na 7º série do ensino Fundamental. Ela conta que esta é a segunda vez que vem à PUC. A primeira foi no ano passado, com os colegas da escola.

A educadora Adriana Maria de Oliveira, que trabalha no centro de Acolhida há 10 anos estima que o contato com a Universidade vai despertar o interesse em pelo menos 50% deles. Para a assistente social Vanessa Beatriz Vida Schuch, a importância desse contato está na abertura de novas perspectivas. "Em nível de profissão, o que eles falam é ser jogador de futebol. É bom que eles saibam que existem outras possibilidades", diz Beatriz. 

Adolescentes em ação

A visita é parte das atividades do projeto Adolescentes em Ação, do Centro de Acolhida, que tem como objetivo preparar os jovens para o mundo do trabalho. "Realizamos visitas em locais que venham a visualizar e potencializar nossas orientações, enfatizando a importância da formação e da escolha profissional", diz Angélica Ramos Gonçalves Henrique, coordenadora do Centro.

Há 14 anos, o Centro de Acolhida trabalha com crianças e adolescentes empobrecidos do bairro Betânia e região. Mantido pela Comunidade Missionária de Villaregia, o Centro atende diariamente 300 crianças e adolescentes, de 6 a 12 anos, oferecendo alimentação, higiene pessoal, atividades artísticas, lúdicas e pedagógicas. 

11/10/2005


PUC Informa. Editado pela Assessoria de Imprensa da PUC Minas :: (31) 3319-4917 - imprensa@pucminas.br