bem-estar PUC CULT em dia com RH aniversários gerais cara nova cadê você? Portal PUC Minas por dentro da PUC lado B

:: Voltar à primeira página do informativo ::

Ai, que calor!

Como enfrentar o calor nos dias em que os termômetros registram temperaturas acima dos 30ºC e a sensação térmica passa dos 35ºC? Atividades do dia a dia, como trabalhar, dormir, praticar esportes e se divertir, têm se tornado mais difíceis devido às altas temperaturas registradas na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Para refrescar, a secretária Dilma Silva, da Diretoria Acadêmica do núcleo universitário de Contagem, resgatou o leque, instrumento antigo utilizado para abanar o calor. “O leque, além de útil para abanar, é um objeto muito elegante. Até tenho presenteado algumas pessoas com este instrumento tão válido para os dias de hoje”, afirma. Além disso, Dilma conta que passou a consumir mais água e aumentou o número de banhos por dia. “Sempre fiz uso desse líquido precioso que é a água. Os banhos ficaram mais frequentes, que o diga a conta de luz”, revela.

De acordo com o Centro de Climatologia TempoClima, no dia 17 de fevereiro deste ano, foi registrada, na Grande BH, a segunda maior temperatura dos últimos doze anos: 33,9 ºC. A previsão é de que todo este calor sentido nas últimas semanas continue no mês de março, antecipa o meteorologista Adelmo Correia. “Estamos em um período de temperaturas acima da média na região Sudeste provocadas pelo fenômeno climático El Niño”, explica.

A enfermeira do Posto Médico de Contagem, Erika Fabiola Gomes, alterou sua rotina devido ao calor, e reforçou alguns hábitos importantes para lidar com a alta das temperaturas. “Procuro comer alimentos refrescantes, como picolés, e utilizo o ar condicionado ou ventilador com frequência”, ressalta. Na hora de dormir, o calor também atrapalha. E para descansar com tranquilidade, Érika dá a dica: “Colocar uma bacia de água ou vaporizador no quarto antes de deitar auxilia no combate ao ressecamento da boca e das mucosas, muito comum nesta época do ano. 

Para enfrentar o calor e o sol fortes, escolher a roupa mais adequada também é importante. Quem usa terno e gravata, por exemplo, sofre nesta época do ano. O advogado e coordenador do Curso de Direito em Contagem, professor José Boanerges Meira, também aconselha: “procuro comprar roupas com tecidos mais finos e adaptados. Sempre que posso utilizo as camisas com manga curta e sem gravata”. Ele defende a mudança de hábito dos advogados. “A justiça pode perfeitamente ser respeitada sem a formalidade do terno. No Brasil, que possui clima tropical, essa adequação se faz necessária”, afirma.


A enfermeira Érika Gomes alterou sua rotina em função do calor

:: Veja mais notícias no "Gerais" ::    :: Volta ::

Secretaria de Comunicação | Recursos Humanos