Nesses quase dois anos de pandemia, a Reitoria da PUC Minas sempre se posicionou de modo afirmativo e célere na adoção das medidas de prevenção contra a Covid-19. Foi uma das primeiras universidades do Brasil a adotar o regime de ensino remoto, constituiu agilmente o Comitê de Monitoramento da doença, além de tantas outras medidas protocolares de defesa da comunidade universitária.

A Universidade vem cotidianamente defendendo e estimulando que professores(as), alunos(as) e funcionários(as) se vacinem. Vacinar-se é defender a vida. É um dever e respeito consigo e com toda a comunidade.

Todos sabemos que, além da vacina, o uso permanente da máscara é o principal aliado na luta contra a expansão da doença. Assim como higienizar as mãos sempre que possível. Agora, tais cuidados devem ser ainda mais efetivos.

O retorno completo às atividades acadêmicas presenciais é algo que todos desejamos durante esse longo período. Mas, ainda, os cuidados mencionados acima são imprescindíveis e a Universidade não vai abrir mão deles. E para isso, sua colaboração é essencial. Cuide de você e de todos a sua volta para juntos vencermos de vez esta pandemia.

Professor Dom Joaquim Giovani Mol Guimarães
Reitor da PUC Minas

UMA RETOMADA SEGURA
DEPENDE DE VOCÊ

Estamos retomando as atividades presenciais com muito afeto. Mas não podemos esquecer de fazer com que a segurança também prevaleça. Alguns cuidados ainda precisam ser tomados para seguirmos juntos construindo o seu futuro e o de todos a sua volta

Antes de se deslocar à Universidade, ou a qualquer momento, responda ao questionário de saúde disponível no SGA/PUC Mobile.

Sempre que possível, higienize as mãos com água e sabão ou álcool em gel.

Mantenha o distanciamento social, evitando cumprimentos com toques e abraços.

Mantenha a máscara (preferencialmente o modelo PFF2 ou N95) no rosto durante toda a sua permanência na Universidade.

CONFIRA AS CONDIÇÕES NAS QUAIS É NECESSÁRIO O AFASTAMENTO DAS ATIVIDADES PRESENCIAIS POR ISOLAMENTO OU QUARENTENA EM FUNÇÃO DA COVID-19

(Atualizado em 05 de abril de 2022)

CONDIÇÃO CLASSIFICAÇÃO DO INFORMANTE NECESSIDADE DE AFASTAMENTO
(após avaliação e orientação pela Equipe de Vigilância Epidemiológica e/ou por um Serviço de Saúde)
Alguém que teve o teste Rt-PCR ou teste de antígeno positivo ou que teve diagnóstico médico de COVID-19 com base em dados clínicos e epidemiológicos ou dados clínicos mais exames de imagem. CASO CONFIRMADO SIM
Isolamento por até 10 dias² após o aparecimento do primeiro sinal ou sintoma (ou, nos casos assintomáticos, da data da coleta da amostra do exame)
Alguém que esteve em contato próximo¹ a um caso confirmado de COVID-19 durante o seu período de transmissibilidade, ou seja: entre 48 horas antes até os dez dias após a data de início dos sinais e/ou sintomas (caso confirmado em sintomático) ou entre 48 horas antes até os dez dias após a data da coleta do exame (caso confirmado em assintomático). CONTATO
Indivíduo com vacinação completa contra COVID-19³
NÃO
Não há necessidade de quarentena, desde que observadas algumas orientações*
CONTATO
Indivíduo não vacinado ou com vacinação incompleta contra COVID-19³
SIM
Quarentena domiciliar por até 10 dias**, a partir do último contato com o caso
Alguém que apresente dois ou mais dos sinais ou sintomas listados a seguir: febre, calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza, distúrbios olfativos (alterações no cheiro das coisas), distúrbios gustativos (alterações no gosto dos alimentos) ou diarreia. SINTOMÁTICO SIM
Isolamento por até 10 dias² após o aparecimento do primeiro sinal ou sintoma

¹.Para fins de vigilância, rastreamento, isolamento, monitoramento de contatos e quarentena, deve-se considerar o CONTATO próximo a pessoa que:
Esteve a menos de um metro de distância, por um período mínimo de 15 minutos, com um caso confirmado sem ambos utilizarem máscara facial ou utilizarem de forma incorreta;
Teve um contato físico direto (por exemplo: apertando as mãos) com um caso confirmado;
É profissional de saúde que prestou assistência em saúde ao caso de COVID-19 sem utilizar equipamentos de proteção individual (EPI), conforme preconizado, ou com EPI danificado;
Seja contato domiciliar ou residente na mesma casa/ambiente (dormitórios, creche, alojamento, dentre outros) de um caso confirmado.

².Isolamento por até 10 dias se o informante estiver sem sintomas respiratórios e sem febre e sem uso de medicamentos antitérmicos há pelo menos 24 horas. A Equipe de Vigilância Epidemiológica e/ou o Serviço de Saúde orientam o informante sobre condições para alteração no período de tempo de isolamento, sobre sinais de agravamento e sobre medidas gerais de prevenção e controle, entre outras informações relevantes.

³.INDIVÍDUO COM VACINAÇÃO COMPLETA CONTRA COVID-19 é o indivíduo que está em dia com o esquema vacinal contra a COVID-19 recomendado pelo Ministério da Saúde, tendo recebido todas as doses recomendadas até o momento para o público-alvo ao qual pertence, incluindo a dose de reforço. INDIVÍDUO COM VACINAÇÃO INCOMPLETA CONTRA COVID-19 é o indivíduo que não está em dia com o esquema vacinal contra a COVID-19 recomendado pelo Ministério da Saúde, não tendo recebido todas as doses recomendadas até o momento para o público-alvo ao qual pertence, incluindo a dose de reforço.

*. Não há necessidade de quarentena para contatos com vacinação completa contra COVID-19³, desde que observadas as orientações a seguir: necessidade de usar máscara bem ajustada ao rosto, preferencialmente cirúrgica ou PFF2/N95, em casa ou em público, até o 14º (décimo quarto) dia após a data do último contato com o caso; necessidade de buscar atenção à saúde e de iniciar imediatamente o isolamento de até 10 (dez) dias, caso o contato desenvolva sinais ou sintomas. A Equipe de Vigilância Epidemiológica e/ou o Serviço de Saúde orientam o informante sobre medidas gerais de prevenção e controle, entre outras informações relevantes.

**. A quarentena pode ser encerrada no décimo dia completo, sem testagem, desde que o contato não desenvolva sinais ou sintomas durante o período. A Equipe de Vigilância Epidemiológica e/ou o Serviço de Saúde orientam o informante sobre condições para alteração no período de tempo de quarentena e sobre medidas gerais de prevenção e controle, entre outras informações relevantes.

PROTOCOLOS PUC MINAS

O Comitê de Monitoramento da Covid-19 da PUC Minas desenvolveu, detalhadamente, protocolos para garantir a segurança de toda a comunidade acadêmica no retorno às atividades presenciais. Tudo o que você viu até aqui foi um excerto desses documentos. Confira a íntegra dos protocolos clicando nos botões abaixo.

FAQ

São muitas as questões em torno da volta presencial e o persistente cenário pandêmico de Covid-19. Reunimos aqui as principais dúvidas recebidas por meio dos canais de relacionamento da Universidade.

Sempre antes de se deslocar à Universidade ou ao campo de estágio, mas também a qualquer momento, sobretudo diante de diagnóstico positivo, contato ou sinais e sintomas de COVID-19, alunos(as), professores(as) e funcionários(as) devem relatar sua situação à Equipe de Vigilância Epidemiológica por meio do aplicativo “COVID-19 - Autoavaliação sobre seu estado de saúde atual”. Essa é a porta de entrada para o Sistema de Vigilância Epidemiológica (SVE) COVID-19 da PUC Minas, que tem como objetivo identificar oportunamente casos de COVID-19 com potencial de transmissão na comunidade universitária e realizar as medidas de contenção.

O aplicativo “COVID-19 - Autoavaliação sobre seu estado de saúde atual” apresenta três perguntas, que poderão ser respondidas a qualquer momento:
  • Pergunta 1) Nos últimos 10 dias você recebeu o diagnóstico positivo de COVID-19?
  • Pergunta 2) Você teve contato com alguma pessoa com diagnóstico positivo de COVID-19 nos últimos 10 dias?
  • Pergunta 3) Você apresenta neste momento dois ou mais dos sinais ou sintomas listados a seguir? FEBRE, CALAFRIOS, DOR DE GARGANTA, DOR DE CABEÇA, TOSSE, CORIZA, DISTÚRBIOS OLFATIVOS (ALTERAÇÕES NO CHEIRO DAS COISAS), DISTÚRBIOS GUSTATIVOS (ALTERAÇÕES NO GOSTO DOS ALIMENTOS) OU DIARREIA.


A resposta positiva a qualquer uma das três perguntas indica a vedação da entrada nas dependências da Universidade e nos campos de estágio, além da necessidade de contato pela Equipe de Vigilância Epidemiológica, para orientação.

Sim. Professores, alunos e funcionários devem seguir, de imediato, as orientações de afastamento emitidas pelo resultado do questionário e aguardar a ligação de um membro do Sistema de Vigilância Epidemiológica da PUC Minas. Todas essas indicações possuem respaldo tanto acadêmico quanto da Pró-Reitoria de Recursos Humanos.

Por telefone ou e-mail. Por isso, é de extrema importância que suas informações estejam atualizadas no sistema.

Sim. O uso permanente de máscara, e ajustada ao rosto cobrindo boca e nariz, preferencialmente o modelo PFF2 (N95), é exigido e obrigatório para todas as pessoas, em todos os espaços, fechados ou abertos, exceto quando estiverem em momento de alimentação ou hidratação em locais específicos.

Em cantinas e demais espaços indicados pela sinalização. As refeições não poderão ser realizadas dentro de salas de aula, laboratórios e clínicas.

Ao identificar um indivíduo sem máscara - ou utilizando-a de maneira inadequada - nos espaços externos, qualquer membro da comunidade universitária deve contatar a equipe de Segurança para que a pessoa receba a devida orientação. Em espaços internos, ao identificar um indivíduo sem máscara, contatar o professor ou funcionário para que a pessoa receba a devida orientação.

Sim. Mas vale ressaltar que os bebedouros estão com bloqueio temporário do modo de esguicho (bocais). Dessa forma, a água será disponibilizada apenas pelas torneiras adequadas para o enchimento de copos e garrafas de uso pessoal. Reforçando que o usuário não deve encostar a garrafa ou copo na torneira do bebedouro e recomendamos higienizar as mãos antes e após o uso do bebedouro.

Não existe mais uma metragem definida. O que deve prevalecer é a cautela em evitar qualquer que seja o contato físico, até mesmo os “soquinhos” como forma de se cumprimentar.

Não, os alunos afastados permanecerão sem acesso às aulas durante todo o período de isolamento/quarentena que lhe foi designado. Não é possível conciliar uma mesma turma, de uma mesma disciplina, com aula online e presencial simultaneamente.

Sim. Tem direito à reposição de avaliação e/ou trabalhos escolares aplicados durante seu período de afastamento o aluno afastado das atividades presenciais devido a isolamento ou quarentena em função da COVID-19, por período inferior a 15 (quinze) dias, em acompanhamento e orientação pela Equipe de Vigilância Epidemiológica da PUC Minas e/ou por um Serviço de Saúde.

Para ter direito à reposição de avaliação e/ou trabalhos escolares aplicados durante seu período de isolamento ou quarentena em função da COVID-19 por período inferior a 15 (quinze) dias, o aluno deve (em até 72 horas após o início do período de isolamento ou quarentena) enviar um e-mail à coordenaçãode seu curso contendo uma autodeclaração sobre seu afastamento. Esse e-mail deve conter (veja exemplo no final do texto*):
1) Nome completo do aluno, unidade/campi, curso e período;
2) Texto no corpo do e-mail contendoautodeclaração do aluno sobre seu afastamento das atividades presenciais devido a isolamento ou quarentena em função da COVID-19,por período inferior a 15 (quinze) dias,em acompanhamento e orientação pela Equipe de Vigilância Epidemiológica da PUC Minas e/ou por um Serviço de Saúde;
3) A data inicial e a data final do afastamento, por período inferior a 15 (quinze) dias, como orientado pela Equipe de Vigilância Epidemiológica da PUC Minas e/ou por um Serviço de Saúde.

Não há necessidade de anexar qualquer documento ao e-mail.

*Exemplo de e-mail a ser enviado à coordenação de seu curso:

Título do e-mail: Autodeclaração de isolamento ou quarentena em função da COVID-19 por período inferior a 15 (quinze) dias
Texto do corpo do e-mail: Eu, José da Silva, aluno do quinto período do Curso de Enfermagem, Campus Coração Eucarístico, declaro que estou afastado das atividades presenciais devido a isolamento ou quarentena em função da COVID-19, por período inferior a 15 (quinze) dias, em acompanhamento e orientação pela Equipe de Vigilância Epidemiológica da PUC Minas e/ou por um Serviço de Saúde. Período de afastamento: entre 01/03/2022 e 11/03/2022.

INFORMAÇÃO IMPORTANTE: Se o período de impedimento do aluno à participação nas atividades escolares for igual ou superior a 15 (quinze) dias, pode ser realizado pedido de regime especial de estudos, nos termos das Normas Acadêmicas do Ensino de Graduação e de Pós-graduação stricto sensu da PUC Minas.

Não. O aluno ou professor com diagnóstico positivo para COVID-19 deve cumprir o período de isolamento e não comparecer à Universidade ou ao campo de estágio durante esse período. Essa pessoa com diagnóstico positivo para COVID-19 deve também, imediatamente, acessar o aplicativo “COVID-19 - Autoavaliação sobre seu estado de saúde atual”, que é a porta de entrada para o Sistema de Vigilância Epidemiológica (SVE) COVID-19 da PUC Minas, apresentando três perguntas que poderão ser respondidas a qualquer momento. A resposta positiva a qualquer uma das três perguntas indica a vedação da entrada nas dependências da Universidade e nos campos de estágio, além da necessidade de contato pela Equipe de Vigilância Epidemiológica, para orientação. A partir da investigação da ocorrência pela Equipe de Vigilância Epidemiológica, pode ocorrer a necessidade de quarentena de CONTATOS desse aluno ou professor com diagnóstico positivo para COVID-19.

CONTATO é qualquer pessoa que esteve em contato próximo com um caso confirmado de COVID-19, durante o seu período de transmissibilidade, ou seja, entre 48 horas antes até os dez dias após a data de início dos sinais e/ou sintomas (caso confirmado em sintomático) ou entre 48 horas antes até os dez dias após a data da coleta do exame (caso confirmado em assintomático).

Para fins de vigilância, rastreamento, isolamento, monitoramento de contatos e quarentena, deve-se considerar o CONTATO próximo a pessoa que:
  • Esteve a menos de um metro de distância de um caso confirmado, por um período mínimo de 15 minutos, sem ambos utilizarem máscara facial ou as utilizarem de forma incorreta;
  • Teve um contato físico direto (por exemplo: apertando as mãos) com um caso confirmado;
  • É profissional de saúde que prestou assistência em saúde ao caso de COVID-19 sem utilizar equipamentos de proteção individual (EPI), conforme preconizado, ou com EPI danificado;
  • Seja contato domiciliar ou residente na mesma casa/ambiente (dormitórios, creche, alojamento, dentre outros) de um caso confirmado.

Portanto, durante a investigação da ocorrência pela Equipe de Vigilância Epidemiológica, ocorrerá o isolamento do caso e a quarentena de contatos. A quarentena de contatos se aplica aos indivíduos que se enquadrem no conceito de contato descrito acima e que apresentem o seguinte estado vacinal: não vacinado ou com vacinação incompleta contra COVID-19. Atualmente, não há necessidade de quarentena para contatos com vacinação completa contra COVID-19, desde que observadas as orientações a seguir: necessidade de usar máscara bem ajustada ao rosto, preferencialmente cirúrgica ou PFF2/N95, em casa ou em público, até o 14º (décimo quarto) dia após a data do último contato com o caso; necessidade de buscar atenção à saúde e de iniciar imediatamente o isolamento de até 10 (dez) dias, caso o contato desenvolva sinais ou sintomas.

Finalmente, é importante lembrar que alunos e professores que tiveram contato com alguma pessoa com diagnóstico positivo de COVID-19 nos últimos 10 dias devem informar essa situação por meio do aplicativo “COVID-19 - Autoavaliação sobre seu estado de saúde atual”. A resposta positiva a qualquer uma das três perguntas indica a vedação da entrada nas dependências da Universidade e nos campos de estágio, além da necessidade de contato pela Equipe de Vigilância Epidemiológica, para orientação.

Teremos ai duas situações em função do motivo do afastamento do professor: se o docente, em função de seu quadro de saúde, estiver impossibilitado de ministrar as aulas, elas estarão suspensas até que o período de isolamento/quarentena do docente termine e ele possa retornar. Mas se tivermos, por exemplo, um afastamento de caso assintomático ou um afastamento de contato, cabe à Coordenação do Curso estudar a possibilidade de que esta disciplina migre temporariamente para o regime remoto síncrono, ou mesmo outra alternativa, para que as atividades tenham continuidade.

Caso o aluno seja grupo de risco para a doença, é importante relatar à coordenação do curso para que ela esteja ciente da situação e dê as devidas orientações.

A PUC não impõe esta obrigatoriedade. Entretanto, já no início do semestre letivo, para poderem acessar normalmente o PUC Mobile/SGA, os estudantes precisam assinar eletronicamente o Termo de Ciência e Responsabilidade para o retorno às atividades presenciais na PUC Minas e fazer a autodeclaração da situação vacinal contra o vírus da COVID-19, assim como enviar o comprovante, no caso daqueles vacinados. Com as respostas ao questionário da situação vacinal, a Universidade terá em mãos informações importantes para poder atuar orientando membros da comunidade universitária que não tenham se vacinado ou estejam com imunização incompleta.

Sim. Para o Semestre 1/2022, todos os alunos da PUC Minas que possuem atividades acadêmicas presenciais (externas e/ou internas) deverão realizar uma autodeclaração, seguida de comprovação, sobre a vacinação contra o vírus da COVID-19. Esta autodeclaração, seguida de comprovação, será prestada pelo próprio aplicativo PUC Mobile, sendo que essa informação servirá para que o Comitê de Monitoramento tenha um mapeamento da cobertura vacinal do corpo discente da Universidade. No momento da autodeclaração, o aluno deve indicar uma das seguintes opções:

1) Não tomei nenhuma dose da vacina até o momento;
2) Tomei apenas a primeira dose da vacina;
3) Tomei as duas doses da vacina ou a vacina de dose única (vacina da Janssen);
4) Tomei as duas doses da vacina ou a vacina de dose única (vacina da Janssen) e tomei também a dose de reforço.

A autodeclaração de que o aluno foi imunizado deve ser acompanhada da devida certificação, com upload da foto do seu cartão de vacina contra a COVID-19 (cartão físico) ou a comprovação obtida no aplicativo Conecte-SUS, sendo de sua responsabilidade a veracidade de tal informação. É importante relembrar que a vacinação é recomendada pelas autoridades sanitárias e trata-se de uma questão de saúde pública.

Os protocolos foram elaborados considerando a legislação municipal, estadual e federal sobre a COVID-19, assim como as orientações de órgãos internacionais, como a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Centro de Controle e de Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC).

Os fluxos, definições e atividades do Sistema de Vigilância Epidemiológica (SVE) COVID-19 da PUC Minas são baseados no Guia de Vigilância Epidemiológica: emergência de saúde pública de importância nacional pela doença pelo coronavírus 2019 – COVID-19, publicado pelo Ministério da Saúde em agosto de 2020 e cuja Versão 4 foi publicada em janeiro de 2022. Foi também utilizada a Portaria Interministerial MTP/MS Nº 17, de 22 de março de 2022.

Alguém que teve o teste Rt-PCR ou teste de antígeno positivo ou que teve diagnóstico médico de COVID-19 com base em dados clínicos e epidemiológicos ou dados clínicos mais exames de imagem.

Indivíduo com quadro respiratório agudo, caracterizado por pelo menos dois (2) dos seguintes sinais e sintomas: febre (mesmo que referida), calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza, distúrbios olfativos ou distúrbios gustativos e sintomas gastrointestinais (diarreia).

O caso suspeito para COVID-19 é classificado como “sintomático” pela Equipe de Vigilância Epidemiológica da Universidade.

Contato é qualquer pessoa que esteve em contato próximo a um caso confirmado de COVID-19 durante o seu período de transmissibilidade, ou seja, entre 48 horas antes até os dez dias após a data de início dos sinais e/ou sintomas (caso confirmado em sintomático) ou entre 48 horas antes até os dez dias após a data da coleta do exame (caso confirmado em assintomático).

Para fins de vigilância, rastreamento, isolamento, monitoramento de contatos e quarentena, deve-se considerar o contato próximo a pessoa que:
  • Esteve a menos de um metro de distância de um caso confirmado, por um período mínimo de 15 minutos, sem ambos utilizarem máscara facial ou as utilizarem de forma incorreta;
  • Teve um contato físico direto (por exemplo: apertando as mãos) com um caso confirmado;
  • É profissional de saúde que prestou assistência em saúde ao caso de COVID-19 sem utilizar equipamentos de proteção individual (EPI), conforme preconizado, ou com EPI danificado;
  • Seja contato domiciliar ou residente na mesma casa/ambiente (dormitórios, creche, alojamento, dentre outros) de um caso confirmado.

O isolamento é a separação de indivíduos infectados dos não infectados durante o período de transmissibilidade da doença, quando é possível transmitir o patógeno em condições de infectar outra pessoa. A quarentena é uma medida preventiva recomendada para restringir a circulação de pessoas que foram expostas a uma doença contagiosa durante o período em que elas podem ficar doentes.